Marcadores Autoimunes/Autoanticorpos

As doenças autoimunes são acompanhadas por autoanticorpos que, por vezes, só se observam nesta doença especial. Por conseguinte, estes autoanticorpos podem servir de marcadores da doença.

Autoanticorpos como marcadores autoimunes

É essencial um diagnóstico confiável e precoce para tratar doenças autoimunes. Contudo, as doenças do tecido conjuntivo são particularmente difíceis de diagnosticar, porque os seus sintomas variam muito e podem ser enganadores.

As doenças autoimunes são acompanhadas por autoanticorpos que, por vezes, só se observam nesta doença especial. Por conseguinte, estes autoanticorpos podem servir de marcadores da doença. Um anticorpo que é marcador de uma doença não é necessariamente um anticorpo patogênico. É frequente os anticorpos serem consequência da doença, e não os desencadeadores.

Sensibilidade e especificidade dos marcadores autoimunes

A qualidade de um marcador de doença é definida pela especificidade e sensibilidade.

Atribui-se uma especificidade elevada a um marcador que ocorre apenas na doença em questão, que não esteja presente nem em doenças relacionadas nem em familiares do doente. Este é um exemplo real de anticorpos de transglutaminase tecidular com uma especificidade clínica de doença celíaca de até 100%.

Um marcador com sensibilidade elevada pode ser detectado na maioria ou em todos os indivíduos com uma doença especial. Mais uma vez, os anticorpos de transglutaminase tecidular constituem um bom exemplo de marcador com sensibilidade elevada. Cerca de 96% das pessoas com doença celíaca apresentam um grau detectável de anti-tTG.

Um marcador de doença pode ser altamente específico mas bastante insensível, como é o caso dos anticorpos de Sm, que se encontram em apenas 10% a 30% dos doentes com LED, mas quase nunca em outras doenças.

O inverso também é verdade, ou seja, um marcador pode ser altamente sensível, mas pouco específico - como é o caso dos anticorpos da cardiolipina, que são um marcador da síndrome dos anticorpos antifosfolipídicos, mas também são detectáveis noutras doenças.

Os produtos Phadia são ensaios para a detecção de marcadores autoimunes em soros de pacientes suspeitos de padecer de doenças autoimunes. Os ensaios são de elevadíssima qualidade, garantindo uma elevada sensibilidade e especificidade.