ImmunoCAP Specific IgE

O ImmunoCAP Specific IgE é composto por mais de 650 alergénios totais, por mais de 90 componentes alergénicos e pelo Phadiatop, um teste concebido para distinguir os doentes atópicos dos não atópicos.

Alergénios Totais ImmunoCAP e Componentes Alergénicos ImmunoCAP 
|  ImmunoCAP Phadiatop/Phadiatop Infant

A quantificação dos anticorpos IgE com ImmunoCAP Specific IgE proporciona uma avaliação exacta dos doentes alérgicos. Aqui pode ficar a saber mais sobre o valor clínico, os valores esperados dos testes e o princípio do teste ImmunoCAP Specific IgE.

A Immunodiagnostics disponibiliza mais de 650 alergénios diferentes e 90 componentes de alergénios para detecção sensível e exacta dos anticorpos IgE específicos dos alergénios. Os anticorpos IgE aparecem no soro e no plasma humano como resultado da sensibilização a um alergénio específico. A medição dos anticorpos IgE circulantes proporciona uma avaliação objectiva da sensibilização a um alergénio. Regra geral, níveis baixos de anticorpos IgE indicam uma probabilidade reduzida de doença clínica, enquanto níveis elevados de anticorpos de um alergénio revelam uma boa correlação com uma doença. 

Valor clínico do teste quantitativo

Para o médico

  • O desenvolvimento de anticorpos IgE pode ser detectado numa fase inicial, com indicação da sensibilização, mesmo antes de surgirem quaisquer sintomas.
  • Ajuda a explicar a evolução da alergia – a progressão da doença alérgica.
  • Ajuda a explicar a carga de alergénios – os alergénios que contribuem conjuntamente para os sintomas alérgicos.
  • Proporciona orientações claras para a gestão da doença.

Para o laboratório

  • Intervalo de medição verdadeiramente quantitativo de 0,1 a 100 kUA/L.
  • CV (%) de intra-ensaio comparável com imuno-ensaios químicos de rotina.
  • Excelente consistência ao longo do tempo e entre países, sistemas, laboratórios e pessoas.

Colheita e preparação do espécime

  • Podem ser usadas amostras de soro e plasma (EDTA ou heparina) de sangue venoso ou capilar.
  • Colher amostras de sangue seguindo os procedimentos normais.
  • Manter os espécimes à temperatura ambiente (RT) apenas para efeitos de expedição.
  • Guardar a 2–8 °C até uma semana e, em períodos mais longos, a –20 °C.
  • Evitar descongelar e voltar a congelar.

Nota: As amostras de sangue para testar fármacos ImmunoCAP e venenos de animais devem ser colhidas durante ou próximo da ocorrência, de preferência, nunca excedendo os 6 meses após a exposição. Se o resultado for negativo e subsistirem fortes suspeitas de uma reacção mediada por IgE, é aconselhável colher uma nova amostra e repetir o teste às 5 a 6 semanas.

Valores esperados dos testes

O ImmunoCAP Specific IgE detecta anticorpos IgE no intervalo de 0 a 100 kUA /l, em que A representa os anticorpos específicos dos alergénios. O resultado apresentado é quantitativo. Na prática clínica, o valor de cut-off normalmente considerado é 0,35 kUA /l. Foram realizados numerosos estudos em que foi avaliado o desempenho clínico dos ensaios ImmunoCAP Specific IgE no diagnóstico de alergias. O desempenho clínico expressa-se em termos de sensibilidade, que vai de 84% a 95%, e especificidade, que vai de 85% a 94%. A sensibilidade e especificidade foram comunicadas em muitos estudos multi-centros, incluindo várias centenas de doentes em que foram testados vários alergénios. 

 

Alergénios Totais ImmunoCAP e Componentes Alergénicos ImmunoCAP

Um diagnóstico de alergias baseia-se numa anamnese detalhada, nas observações clínicas e nos resultados do teste de IgE. Se utilizar os Alergénios Totais ImmunoCAP ou os Componentes Alergénicos ImmunoCAP para determinar a presença de anticorpos IgE, terá à disposição uma vasta gama de alergénios ou de componentes alergénicos que o ajudarão a estabelecer um diagnóstico fiável dos doentes com suspeita de alergia. 

  • O conhecimento dos níveis de anticorpos IgE proporciona orientações para:
  • Adaptar o aconselhamento aos doentes individuais.
  • Conseguir a redução pretendida de exposição ao alergénio.
  • Indicar o desenvolvimento de tolerância (alergia alimentar, imunoterapia específica).
  • Permitir a optimização dos planos de tratamento médico individuais (tempo e dosagem).
  • Encaminhar os doentes para especialistas adequados.

Valor clínico dos Alergénios Totais ImmunoCAP 

Os resultados dos Alergénios Totais ImmunoCAP permitem confirmar uma suspeita de alergia e determinar o alergénio causador ou excluir os alergénios cujos resultados dos testes são negativos. Os resultados também podem ser úteis na monitorização contínua dos níveis de anticorpos IgE. O desenvolvimento de anticorpos IgE pode ser detectado numa fase inicial, com indicação da sensibilização, mesmo antes de surgirem quaisquer sintomas, ajudando assim na identificação de doentes com risco de:

  • Evolução da alergia – Progressão de sintomas dérmicos para sintomas respiratórios.
  • Exacerbação – Progressão de sintomas ligeiros para sintomas graves.
  • Cronicidade – Progressão de sintomas recorrentes para sintomas persistentes.

Valor clínico dos Componentes Alergénicos ImmunoCAP

É possível produzir componentes alergénicos individuais a partir de uma fonte alergénica. Deste modo, a sensibilização a estes componentes é medida individualmente em testes separados, ajudando a identificar, com um nível molecular exacto, o componente ao qual o doente é sensível. Esta informação fornece a base para um diagnóstico preciso da alergia.

Os componentes alergénicos são proteínas que estão agrupadas em famílias de proteínas diferentes com base na semelhança estrutural. As consequências da sensibilização aos membros destas famílias dependem das propriedades que têm em comum; estão presentes em quantidades diferentes nas fontes e têm estabilidades diferentes. Alguns componentes alergénicos são específicos e outros apresentam uma reactividade cruzada.

O que acrescenta a Alergologia Molecular?

  1. Avaliar o risco clínico de reacções
    A Alergologia Molecular permite tirar conclusões sobre o risco associado à sensibilização. A sensibilização a componentes alergénicos estáveis pode provocar reacções sistémicas, bem como reacções locais, enquanto a sensibilização a componentes instáveis está principalmente associada a reacções locais.
     
  2. Explicar os sintomas devido à reactividade cruzada
    Os sintomas provocados pelos anticorpos de reactividade cruzada podem ser distinguidos dos sintomas causados pela sensibilização genuína, o que é importante para a gestão dos doentes e para um aconselhamento adequado sobre o que se deve evitar. Nos casos em que se identifique apenas uma sensibilização por reactividade cruzada, é necessário realizar mais testes para descobrir o principal agente sensibilizador.
     
  3. Identificar os doentes indicados para a Imunoterapia Específica
    A sensibilização a componentes alergénicos específicos é essencial para uma Imunoterapia Específica bem-sucedida. Os tratamentos apresentam melhores resultados se efectuar a correspondência dos doentes que têm uma sensibilização genuína com um extracto da fonte relevante.

 

ImmunoCAP Phadiatop/Phadiatop Infant

A determinação da presença de anticorpos IgE com o ImmunoCAP Phadiatop resulta na avaliação adequada de doentes atópicos. Aqui pode ficar a saber mais sobre o valor clínico, os valores esperados dos testes e o princípio do teste ImmunoCAP Phadiatop/Phadiatop Infant.

O ImmunoCAP Phadiatop é um teste sanguíneo concebido para distinguir os doentes atópicos dos não atópicos. Os resultados indicam uma probabilidade elevada ou baixa de atopia. Um resultado negativo indica que os sintomas não são causados por alergénios ambientais comuns, caso em que o médico pode explorar outras possibilidades.

Nas crianças mais novas dos 0 aos 3 anos, a sensibilização alérgica está maioritariamente relacionada com alergénios alimentares (tais como ovos, leite, peixe, soja e amendoins) em vez de alergénios inalantes. Contudo, os anticorpos dos alergénios inalantes, tais como ácaros do pó e animais domésticos, também podem surgir na primeira infância. Por conseguinte, recomenda-se uma combinação de Phadiatop e dos alergénios alimentares mais comuns ao testar a atopia em crianças.

Valor clínico

O Phadiatop e o Phadiatop Infant são ensaios para a determinação graduada da atopia com resultados semi-quantitativos ou qualitativos.  

Resultados semi-quantitativos

Os resultados do Phadiatop são apresentados como Phadia Arbitrary Units/l (PAU/l) que indicam o grau de sensibilização. Um valor de PAU/l do Phadiatop acima do limite de quantificação indica que o doente é atópico (positivo), ou seja, foram detectados níveis mensuráveis de anticorpos IgE específicos de alergénios inalantes. Um valor PAU/l de Phadiatop abaixo do limite de quantificação indica que o doente é não atópico (negativo), ou seja, o nível de anticorpos IgE específicos é indetectável. Os valores PAU/l de Phadiatop mais elevados indicam um maior grau de sensibilização, ou seja maiores níveis de anticorpos IgE específicos de alergénios inalantes comuns.

Resultados qualitativos

Os resultados do Phadiatop expressam-se como positivo ou negativo. Um resultado de Phadiatop positivo indica que o doente é atópico, enquanto um resultado negativo indica que o doente é não atópico, ou seja, não sensibilizado aos alergénios inalantes. Para determinar a concentração de anticorpos IgE específicos dos alergénios, é aconselhável voltar a testar a amostra com o ImmunoCAP Specific IgE adequado.

Os resultados clínicos seguintes foram obtidos em ensaios clínicos que envolveram 836 doentes com suspeita de alergia:

Diagnóstico final
Atopia/não atopia
 
Resultados do ImmunoCAP Phadiatop  
PositivoNegativoTotal
Atopia 483 38 521
Não atopia 34 281 315
Total 517 319 836

Sensibilidade 93%
Especificidade 89%

Todos os testes foram executados usando o calibrador IgE específico 0,35 kU/l como o valor de cut off.

Nota importante

Tal como acontece com todos os testes de diagnóstico, um diagnóstico clínico definitivo não se deve basear apenas num único método de teste. O médico deverá efectuar o diagnóstico depois de avaliar todos os resultados clínicos e laboratoriais.