Princípio de Teste IgE Específica ImmunoCAP

A tecnologia baseia-se numa capacidade de ligação total extremamente elevada, conseguida através de uma elevada capacidade de ligação por mg de celulose em associação com uma quantidade optimizada de celulose em cada fase sólida. Assim é assegurada a ligação de todos os anticorpos relevantes, independentemente da afinidade dos anticorpos, ainda com ligação não específica baixa.

A fase sólida do ImmunoCAP consiste num derivado de celulose fechado numa cápsula. O polímero hidrófilo muito ramificado oferece um micro-ambiente ideal para alergénios, ligando-os de forma irreversível enquanto mantém a respectiva estrutura nativa.

O teste é concebido como imunoensaio em sanduíche. 

 
O alergénio, o componente alergénico ou uma mistura equilibrada de alergénios inalantes relevantes, acoplado por ligação covalente à fase sólida, reage com a IgE específica na amostra de soro do doente.
Após a lavagem da IgE não específica, são adicionados anticorpos marcados por uma enzima contra a IgE para formarem um complexo.
Após incubação, o anti-IgE não ligado marcado por uma enzima é lavado e o complexo ligado é incubado com o substrato.
Após paragem da reacção, mede-se a fluorescência do eluído. A fluorescência é directamente proporcional à presença de IgE específico na amostra.