Vasculite e doenças associadas à antimembrana basal glomerular

Anticorpos PR 3 | Anticorpos MPO | Anticorpos GBM

 

Anticorpos PR 3

Produto

Artigo N.º

N.º de testes

EliA PR3 S (sensível)  14-5536-01 4x12 testes
Varelisa PR3 ANCA 177 96 96 testes

Material Promocional

Pastas de Desempenho
EliA PR3 S, MPO S (pdf)
EliA PR3, MPO, GBM (pdf)
Varelisa ANCA (pdf)

Antigénios

Os anticorpos citoplásmicos anti-neutrófilos (ANCA) podem ser subdivididos em ANCA citoplásmicos (cANCA) e perinucleares ANCA (pANCA). O principal antigénio para a reactividade dos cANCA é a enzima protease 3 (PR3).

A PR3 é uma proteína catiónica formada por 228 resíduos aminoácidos, pertencente à família tripsina de proteases da serina. Com expressão apenas nos primatas e seres humanos, a PR3 desempenha várias funções, incluindo a proteólise da elastina, hemoglobina, fibronectina, laminina e colagénio tipo IV, actividades anti-microbianas, etc.

A PR3 nos ensaios Phadia (agora Immunodiagnostics) é purificada a partir de neutrófilos humanos. 

No EliA PR3 S (sensível), o revestimento dos poços com antigénios é realizado com uma técnica de ancoragem que aumenta substancialmente a sensibilidade do teste.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • Glomerulonefrite com Poliangeíte (GPA), antes denominada Granulomatose de Wegener dependendo da actividade da doença: cerca de 50% na doença inactiva, perto de 100% na fase de generalização activa de GPA, especificidade >95%.
  • Poliangeíte microscópica: pequena percentagem 
  • Glomerulonefrite Eosinofílica com Poliangeíte (GEPA) antes denominada Síndrome de Churg-Strauss: 10-30%
  • Poliartrite nodosa: 8-10%  
  • Glomerulonefrite crescêntica idiopática: 30%

Informações acerca das doenças

Por norma, o anti-MPO e o anti-PR3 não ocorrem simultaneamente no mesmo doente. A detecção de c-ANCA com actividade clara de PR3 tem uma especificidade de 99% para a vasculite necrosante de pequenos vasos.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de vasculite sistémica idiopática, que surge nas seguintes condições:
  • Presença de lesões vasculares visíveis, tais como pontas dos dedos neucróticas púrpuras, etc. 
  • Presença de mais ou menos sintomas típicos, tais como inflamação necrosante das vias respiratórias superiores (GPA), hipereosinofilia com asma não alérgica (Glomerulonefrite Eosinofílica com Poliangeíte), etc. 
  • Glomerulonefrite rapidamente progressiva.
  • Presença de sintomas e sinais de inflamação, tais como febre, ESR elevado e nível de proteínas reactivas C, etc., sem causa ou localização identificável.

Isótipo de anticorpos

IgG

Métodos de detecção

ELISA (com PR3 revestido) ou imunofluorescência indirecta (IIF). 90% dos soros com cANCA positivo também são positivos no PR3 ELISA e vice-versa.

Referências bibliográficas

Gross WL, Csernok E, Szymkowiak CH (1996)  |  Harris A, Chang G, Vadas M, Gillis D (1999)  |  Boomsma MM, Stegeman CA, ven der Leij MJ (2000)   

Voltar ao início

 

Anticorpos MPO

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

EliA MPO S (sensível)  14-5537-01 4x12 testes
EliA MPO 14-5513-01 4x12 testes
Varelisa MPO ANCA 176 96 96 testes

Material Promocional

Pastas de Desempenho
EliA PR3 S, MPO S (pdf)
EliA PR3, MPO, GBM (pdf)
Varelisa ANCA (pdf)

Antigénios

Os anticorpos citoplásmicos anti-neutrófilos (ANCA) podem ser subdivididos em ANCA citoplásmicos (cANCA) e perinucleares ANCA (pANCA). O principal antigénio para a reactividade dos pANCA é a enzima mieloperoxidase (MPO). A MPO está presente e é uma enzima marcadora dos grânulos azurofílicos dos neutrófilos. Catalisa a produção de ácido hipoclórico, que é eficaz para matar bactérias e vírus fagocitados.

A MPO constitui quase 5% do total de proteínas de um granulócito neutrofílico. Trata-se de um dímero ligado covalentemente com um peso molecular de aproximadamente 140 kDa.

A MPO nos ensaios Phadia (agora Immunodiagnostics) é purificada a partir de neutrófilos humanos.

Especificidade e prevalência dos anticorpos

  • Glomerulonefrite crescêntica e necrosante idiopática sem depósitos imunes (= pauci-imune): em cerca de 65%
  • Poliangeíte Microscópica: 45% 
  • Glomerulonefrite Eosinofílica com Poliangeíte (GEPA), antes denominada Síndrome de Churg-Strauss: cerca de 60%
  • Glomerulonefrite com Poliangeíte (GPA) antes denominada Granulomatose de Wegener (WG): 10% 
  • Poliartrite nodosa: cerca de 15% 
  • Síndrome de Goodpasture: cerca de 30-40% 
  • LED: cerca de 8%, mas mais comum no lúpus induzido por fármacos

Informações acerca das doenças

Por norma, o anti-MPO e o anti-PR3 não ocorrem simultaneamente no mesmo doente. A detecção de p-ANCA com actividade clara de MPO tem uma especificidade de 99% para a vasculite necrosante de pequenos vasos. Por contraste, os p-ANCA em conjunto com reactividade de MPO negativa ou positiva baixa não estão associados à vasculite.
A.Wiik, Dinamarca, sugeriu que se mudasse o nome destes últimos de ANCA para auto-anticorpos específicos de neutrófilos, de modo a evitar interpretações incorrectas dos resultados (Carette S., 2004, J Rheumatol 31:792-4).

Actividade da doença

O risco relativo de recaída aumenta com a positividade de ANCA.

Factor de risco de recaída em caso deRisco relativo
ANCA positivo 10%
ANCA crescente 19%
Interrupção do tratamento 2,4%

Tabela: A persistência ou o aumento de ANCA deve influenciar a decisão terapêutica.
(Data de uma apresentação de Jayne J em Genebra, 2002)

Os graus de ANCA são mais elevados quando as doenças estão activas do que durante a remissão.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de vasculite sistémica idiopática, que surge nas seguintes condições:
  • Presença de lesões vasculares visíveis, tais como pontas dos dedos neucróticas púrpuras, etc. 
  • Presença de mais ou menos sintomas típicos, tais como inflamação necrosante das vias respiratórias superiores (GPA), hipereosinofilia com asma não alérgica (Glomerulonefrite Eosinofílica com Poliangeíte), etc. 
  • Glomerulonefrite rapidamente progressiva.
  • Presença de sintomas e sinais de inflamação, tais como febre, ESR elevado e nível de proteínas reactivas C, etc., sem causa ou localização identificável.

Isótipos de anticorpos

IgG

Referências bibliográficas

Kallenberg CGM (1996)  |  Harris A, Chang G, Vadas M, Gillis D (1999)  |  Savage COS, Harper L, Cockwell P, Adu D, Howie AJ (2000)   

 Voltar ao início

 

Anticorpos GBM

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa GBM Antibodies 133 96 96 testes
EliA GBM 14-5514-01 2 x 12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA PR3, MPO, GBM (pdf)

Antigénios

A principal função da membrana basal glomerular (GBM) do rim é a ultrafiltração do sangue. O colagénio tipo IV é um componente típico da GBM, possui propriedades auto-agregadoras e forma uma matriz na qual as outras moléculas de membranas basais são integradas. O colagénio tipo IV forma trímeros compostos por três subunidades de cadeias alfa. Uma vez que os anticorpos são dirigidos para os epítopos do denominado "domínio não colagenoso" (domínio NCI) ocultos no interior da proteína, na sua estrutura nativa, torna-se necessário utilizar antigénio desnaturado para a detecção dos anticorpos GBM.

O Varelisa GBM Antibodies e o EliA GBM são os primeiros ensaios que utilizam o domínio NCI da cadeia alfa 3 de colagénio IV humana recombinante.

Especificidade e prevalência dos anticorpos

  • Glomerulonefrite rapidamente progressiva (com ou sem hemorragia pulmonar) (15%) 
  • Síndrome de Goodpasture (um de três critérios específicos)
  • Vasculites associadas a ANCA

Informações acerca da Síndrome de Goodpasture

Na síndrome de Goodpasture, é importante iniciar a terapia antes de os danos renais terem avançado demasiado. Por conseguinte, é imprescindível um diagnóstico precoce, o qual pode ser confirmado através de ensaios sensíveis.

Actividade da doença

Podem persistir graus relativamente elevados de anticorpos nos doentes em clara remissão clínica, os quais diminuem lentamente ao longo de aproximadamente um ano. Por norma, o transplante renal deve ser adiado até a titulação de anticorpos ser negativa, para evitar a recorrência da doença no receptor do transplante. 

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de síndrome de Goodpasture
  • Doentes com Glomerulonefrite
  • Resultados de ANCA positivos.
  • Antes de um transplante renal: indicação de risco elevado de insuficiência renal aguda (prognóstico pouco favorável).

Isótipos de anticorpos

IgG

Referências bibliográficas

Hellmark T, Segelmark M, Bygren P, Wieslander J (1996)  |  Kluth DC, Rees AJ (1999)  |  Gibson IW, More IAR (1998)

Voltar ao início