Poliarterite Nodosa

A Poliarterite Nodosa afecta qualquer órgão do corpo, mas a pele, os nervos periféricos, as articulações, o tracto intestinal e os rins estão, por norma, mais envolvidos. Os pulmões costumam ser poupados. Apesar da sua gravidade variar, a poliarterite nodosa é uma doença grave, frequentemente progressiva e fatal.

A vasculite semelhante à poliarterite nodosa pode ser uma manifestação secundária ou associada ocasional de outras doenças como, por exemplo, artrite reumatóide (AR) e lúpus eritematoso sistémico (LES).

A poliarterite nodosa é rara; as estimativas da sua incidência na população em geral variam entre as 5 e as 10 pessoas por milhão, anualmente. A doença é duas vezes mais comum nos homens. Podem ocorrer casos entre crianças e idosos, mas é mais comum na meia idade.

Sintomas constitucionais como mal-estar e febre são muito comuns. Entre as manifestações cutâneas incluem-se a púrpura palpável, úlceras de diferentes tamanhos e livedo reticularis. As dores nas articulações são comuns, mas a sinovite é menos frequente.

As mononeuropatias múltiplas são as manifestações neurológicas mais típicas e ocorrem em metade ou mais dos doentes. É frequente os primeiros sintomas serem dores agudas súbitas de parestesias na distribuição de um nervo periférico, seguidos de fraqueza nos músculos fornecidos pelo nervo em causa. Progressivamente, vários outros nervos podem ser envolvidos, o que resulta numa polineuropatia difusa grave.