Resultados dos testes EliA com excelente valor clínico

Os resultados de testes com elevado valor clínico estão na base das decisões clínicas e são a chave para o sucesso em diagnóstico.

Os ensaios EliA combinam uma especificidade excepcional com a mais elevada sensibilidade e oferecem a orientação e segurança de que os médicos necessitam para as decisões diárias em termos de diagnóstico. Mais importante ainda, os valores preditivos positivos e as taxas de probabilidade dos nossos ensaios EliA fornecem valores excelentes que asseguram a elevada utilidade clínica na prática de rotina.

  • “O ensaio EliA dsDNA da Phadia oferece a melhor especificidade, valor preditivo positivo e probabilidade pós-teste de todo o estudo.”
    Antico, Lupus 2010
  • “…. um resultado positivo pelo EliA CTD Screen teve um rácio de verosimilhança mais elevado que um resultado positivo por imunofluorescência indirecta.”
    Op de Beeck, Autoimmun Rev 2011
  • “… o ensaio anti-tTG IgA da Phadia teve o mais elevado rácio de verosimilhança neste estudo.”
    Vermeersch P., Clin Chim Acta 2010
  • “Muito importante, os valores preditivos positivos dos testes automatizados (85,2%) em comparação com o IgG CCP 3.0 ELISA manual (72,5%) tiveram como resultado uma melhor correlação com a AR clínica.”
    Elfrefaei, J.Clin. Immunol. 2011

 

Para muitos testes, os resultados quantitativos permitem estimativas sobre a gravidade e prognóstico da doença. Os resultados quantitativos têm assim um valor clínico mais elevado que os resultados qualitativos, que só indicam se o resultado do teste é "positivo" ou "negativo".

Ao oferecer marcadores específicos (por ex., EliA dsDNA) que são adequados ao seguimento de doentes, os médicos podem beneficiar do apoio na gestão dos doentes.

  • "O seguimento de doentes de LED com nefrite demonstrou boa correlação entre as crises e os anticorpos dsDNA pelo EliA dsDNA."
    Poster Viander M. et al. 5th International Congress on Autoimmunity, Sorrento, Nov. 2006
  • "O EliA dsDNA detecta anticorpos anti-dsDNA em doentes com envolvimento renal mais frequentemente e com um grau médio significativamente maior em comparação com doentes sem esta complicação."
    Vilalta D. et al., J Clin Lab Anal 2002, 16: 227-232